Sexta-feira, 4 de Setembro de 2009

Primeiro-ministro comenta cancelamento do Jornal de Sexta da TVI e pede explicações à Media Capital

«Espero não ser prejudicado nas urnas e espero que toda a gente acredite no que estou a dizer. Eu não tenho nada a ver com o assunto. Tenho a certeza que nunca influenciei». A declaração de José Sócrates surge num período quente, depois do Jornal de Sexta ter sido suspenso pela administração da TVI e da direcção de informação se ter demitido.

 

ERC abre processo de averiguações> 

Redacção assinou abaixo-assinado de repúdio

 

O primeiro-ministro explicou o seu não envolvimento no processo na Quinta das Lágrimas, em Coimbra: «Esta decisão, que foi tomada no interior da empresa MediaCapital e que diz respeito ao Jornal de Sexta, é da exclusiva responsabilidade da administração da empresa».

 

Prisa remete comentários para Media Capital 

Sindicato mostra «repulsa e indignação»

 

«Nem eu, nem o Partido Socialista, nem o Governo, teve nada a ver com essa decisão, não a procurou influenciar, não a procurou sequer e por isso é absolutamente injusto, para não dizer mais, todas as acusações que são feitas relativamente à pretensa influência que o Governo ou o PS terá tido nessa decisão. Quero repudiar essas acusações, porque são injustas e infundadas», frisou.

 

Oposição fala em «acto de censura» 

Moniz: cancelamento do Jornal de Sexta é «um escândalo»

 

Sócrates aproveitou para criticar a oposição: «Verifico que há muitos dirigentes políticos que são capazes das maiores acusações sem a mínima prova. Eu quero recordar que esses dirigentes políticos, que são muito lestos a acusar o Partido Socialista de ter procurado influenciar uma decisão para a qual em nada contribuiu, à qual é totalmente estranho, quero recordar que Paulo Portas e Aguiar Branco eram ministros de um Governo que procurou influenciar no sentido de afastar o comentador Marcelo Rebelo de Sousa. Portanto, não me julguem à sua própria medida».

 

O primeiro-ministro repudia as «insinuações» e lembra que «nunca o Governo, nem o PS, nestes últimos quatro anos e meio, teve a mínima influência na TVI». Neste sentido, espera que a Media Capital venha explicar o que sucedeu:

 

«Nós queremos que a direcção da empresa dê explicações, porque é muito importante que explique cabalmente e de forma convincente quais as razões que a levaram a fazer isso. E faço com a autoridade moral de quem foi vítima desse Jornal de Sexta durante muitos meses. Não tenho medo desse Jornal de Sexta, nem procurei nenhuma forma de o evitar, pelo contrário».

 

«O país quer saber as razões que levaram a administração a proceder assim, porque eu não quero que fique a mínima suspeita que nem eu ou o Governo ou meu Partido possa ter a ver com isso, porque não teve. Eu não quero que o meu partido pague nestas eleições, porque tomaram a decisão hoje, a poucas semanas das eleições, e ficará sempre alguma ideia. As pessoas podem pensar que se ele criticou o Jornal de Sexta, talvez tenha alguma intenção por trás, mas eu nada tive a ver com isto».

 

Sócrates afirmou não ter «qualquer relação com a administração da Media Capital, nem com os seus accionistas».

publicado por KV às 11:43
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Primeiro-ministro comenta...

.tags

. todas as tags

.posts recentes

. Primeiro-ministro comenta...

.últ. comentários

Se não gostaste do questionário, paciência. Não o ...